_____English____Português____Español__

Notícias

IPG-IG,  FIDA e Ipea lançam Atlas da extrema pobreza no Norte e Nordeste do Brasil

Publicação mapea a distribuição da população que vive em com até R$ 70,00 em domicílios agrícolas, pluriativos,e não agrícolas com base no Censo 2010

Couro de PeixeBrasília, 30 de outubro de 2015 –  O Centro Internacional de Políticas para Crescimento Inclusivo (IPC-IG) do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), o Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA), em parceria com  o Instituto de Pesquisas Econômicas Aplicadas (Ipea), lançaram o “Atlas da Extrema Pobreza no Norte e no Nordeste do Brasil em 2010”, que identifica os munícipios dessas regiões com maíor concentração de pessoas residentes em domicílios com renda mensal per capita de até 70 reais em 2010.

O objetivo do Atlas é mapear a pobreza rural no Brasil, identificando, inclusive, os bolsões de extrema pobreza de acordo com o tipo de atividade econômica principal das famílias: se puramente agrícola, pluriativa ou não agrícola. A publicação enfoca os estados do Norte e do Nordeste do país, onde vive a maioria dos pobres rurais. O estudo considera a linha oficial de  extrema pobreza declarada pelo Governo Federal, segundo a qual  famílias cuja renda domiciliar mensal per capita era de até R$ 70,00, em 2010, encontravam-se em situação extrema pobreza.

Elaborado com base no Censo Demográfico de 2010, o Atlas apresenta mais de 80 mapas que localizam onde estão os brasileiros mais vulneráveis nos 16 estados que compõem as regiões Norte e Nordeste. Para cada um desses estados são apresentados cinco mapas que revelam os níveis de extrema pobreza municipais, para os quais considera-se o estado com um todo e as seguintes categorias de ruralidade:

  • Domicílios agrícolas: aqueles em que pelo menos um membro está empregado no setor agrícola e 67% da renda do trabalho vem da agricultura;
  • Domicílios pluriativos : aqueles em que pelo menos um membro está empregado no setor agrícola, mas menos de 67% da renda é oriunda da agricultura.
  • Domicílios rurais não agrícolas: aqueles que estão em áreas oficialmente rurais, mas sem qualquer membro do domicilio trabalhando na agricultura.
  • Domicílios urbanos não agrícolas: aqueles que estão em áreas oficialmente urbanas e sem qualquer membro do domicílio empregado na agricultura.

Para acessar o Atlas em português gratuitamente, clique aqui

URL curta: http://pressroom.ipc-undp.org?lang=pt-br/?p=17188

Publicado por em Nov 4 2015. Arquivado em Desenvolvimento Rural e Sustentável, Destaque, Diálogo Sul-Sul, Slider.. Você pode acompanhar quaisquer respostas a esta entrada através do RSS 2.0. Você pode deixar uma resposta, ou trackbacks a esta entrada

Deixe uma Resposta

Procurar Arquivo

Busca por Data
Busca por Categoria
Pesquise no Google